Estresse: quando a faculdade vira “máquina de moer gente”

Pesquisadores tem comprovado o quanto é desgastante a rotina de um individuo que trabalha e estuda, o pior é perceber que algumas Universidades não estão preocupadas ou pouco se importam com a saúde psicológica de seus alunos. Cobranças atrás de cobranças, avaliações desnecessárias e mal elaboradas, falhas no atendimento e na organização administrativa dessas instituições, entre outras situações desagradáveis tem agravado e aumentado mais o nível de estresses dos alunos. Trouxemos aqui uma matéria publicada no jornal da USP elaborada por um dos integrantes da equipe da Humanits, Felipe Moretti que atua no espaço com atividades de Fisioterapia, Acupuntura, Relaxamento e Orientação às pessoas com Fibromialgia. Sua pesquisa foi desenvolvida para seu trabalho de conclusão de curso (TCC) e relata uma experiência própria vivenciada e percebida no decorrer de sua trajetória acadêmica, embasada também em relatos feitos por outros estudantes. É uma questão ainda atual que deve ser refletida pelas pessoas.

http://jornal.usp.br/ciencias/estresse-quando-a-faculdade-vira-maquina-de-moer-gente/

Psicoterapia com Márcia Oliveira

Participou de grupos de estudos em psicanálise com dr. Carlos Rosário Briganti. Tem formação em somaterapia com o dr. Roberto Freire (criador da abordagem de de análise transacional pela Asociación Latinoamericana de Análisis Transacional e União Nacional das Associações de Análise Transacional).

Professora de biodança titulada pela Asociación Latino-americana de Biodanza. Tem treinamento em bioenergética e rádix terapia com Dr. Otávio Rivas (México), em terapia de crises com Dr. Alfredo Mofat (Argentina), e treinamento intensivo em terapia de vidas passadas, com Dr. Morris Netherton (pela Association for the  Alignment of past life experience). Tem treinamento em do-in, shiatsu, tui-na, fitoterapia, florais de bach, acupuntura, litoterapia e litopuntura com  Cristina Félix e Reiki (Nível I e II). Treinamento em hipnose ericksoniana pelo instituto pro-mente e técnicas para a exploração da consciência. É criadora da técnica pós reichiana (a reorganização das funções do organismo pelo movimento e de seu desdobramento, a psicologia da evolução). Há quatro anos vem se dedicando ao estudo da terapia sistêmica de Bert Hellinger e está em treinamento para consteladores pelo Instituto Bert Hellinger Brasil Central.

“Amor e morte”

desejo de amor e/ou desejo de morte?

quais percursos vão construindo ao longo de nossas vidas?

realizar desejos, sonhos, encarar quem somos…

implica necessariamente em desvendar-se

e ao se desnudar…

encarar quem és

e se queres assim, que siga

se não se reconstrua

examinando tua humanidade banal, egoísta, medrosa, corajosa, ambiciosa

sejas o que sejas

não importa

 

conheça-te

desvele pra ti teus mais íntimos segredos

e assim começarás a libertar-se de tuas dores e medos

e com eles, viver teus amores

a construir tuas redes de amar

ganhar e perder

assim poderás ter saudades e histórias pra contar

a rede que ama ou não te ama

poderá ajudar a tecer tuas novas histórias

histórias com outras histórias

e descobres que estás aprendendo a viver

permitindo ser livre ou aprisionar-se às redes que vive

mas que bom ser prisioneiro por quem permitires

exerce tua liberdade de ser e estar

na vida…amada e temida,

mas vivida!

Por: Psicóloga/psicodramatista Ana Nunes

Porque Psicoterapia, Terapia ou Tratamento com Psicólogo?

Por Ana Maria Nunes

Muitas vezes, em determinados momentos da vida, nos vemos sem direção, com medos, dificuldades de relacionamentos (dos quais não conseguimos melhorar ou nos desvencilhar), ou desenvolvemos doenças (que não sabemos explicar como surgem), filhos que adoecem, se fecham para a vida plena de inúmeras possibilidades e  não conseguem se apropriar destas possibilidades. Assim nos perdemos.

Sentimos que não há saída, para a dor, o desespero, o desamor.

Nestes momentos doloridos de nossas vidas, nos quais as dores são tamanhas e não vemos saída e nem outras soluções possíveis, é que podemos optar pelo nosso desespero, muitas vezes, agravando-se os problemas, sem conseguirmos criar soluções satisfatórias para nossas dores. Podemos então  buscar ajuda para a  reorganização de nossas vidas, de nossas possibilidades de estarmos mais confortáveis, mais participantes e mais felizes nessa existência  que deveria ser de plenitude, saúde  e alegria.

Essa possibilidade pode ser construída e habitada em nós. E pode ser construída pelo trabalho psicoterápico, com a intervenção do terapeuta.

O terapeuta nada mais é do que um ser, igual a qualquer um, porém tem a formação e o instrumental necessário para, junto com aquele que sofre ou necessita de ajuda, possibilitar uma vida mais transparente, com a possibilidade de ser e estar bem e se reconhecer entre os seus.

Terapia é também um sonho que se sonha junto, por isso torna-se realidade.

O sentido da terapia é costurar, de forma confortável e criativa, nossos retalhos: cenas vividas, às vezes superadas e outras estagnadas. E o caminho para a reconstrução se dá de uma forma de cooperação, de amor, executadas pelo terapeuta junto com o paciente que recompõe essa trama de cenas da vida e vai caminhando e construindo, reconstruindo, fazendo habitar em nós, de uma forma mais qualitativa e prazerosa, as nossas experiências de vida.

É o nosso terapeuta que nos faz crescer, apreender e refazer.

Coloco-me assim à disposição daqueles que buscam verdadeiramente a alegria e a possibilidade de se estar mais inteiro e feliz nas escolhas feitas e não nas impostas pela vida.